Medos da Maternidade

11 May 2018

 

Ser mãe é para sempre, não tem como desistir no meio do caminho. Pode ter momentos de alegria, orgulho, amor e felicidade e também pode ter momentos difíceis de superação e aprendizado. É realmente uma experiência única.
 

Então pode ser a melhor experiência vivida como também pode não ser. Não dá para comparar com nada e com ninguém, é uma escolha única e de cada uma, ser mãe ou não. O importante é ficar bem com a escolha feita.
 

Mas o que faz uma mulher temer a maternidade atualmente?
 

Podemos pensar em algumas questões como:
 

- Seria medo de não ser uma mãe tão boa como a que teve?

- Seria medo de ser responsável por um ser que estará totalmente sob seus cuidados?

- Seria por se sentir responsável por colocar uma “vida” no mundo que acredita estar muito ruim e não poder garantir que o filho seja feliz e que não seria justo?

- Seria medo do filho tomar seu espaço?

- Seria medo de não ter ajuda do pai para criar o filho?

- Medo do financeiro?

- Seria o medo de ter que deixar o profissional ou ter que esperar para se realizar profissionalmente?

- Seria o medo do filho nascer com alguma doença?
 

Enfim, são muitas suposições, e é necessário que se pesquise melhor o que está acontecendo de fato com as mulheres que estão tão assustadas com a maternidade.
 

Será que faltou preparo? Amadurecimento? Muitas responsabilidades? O que seria?
 

O que se pode pensar é que existe um sofrimento, uma insegurança das mulheres em assumir essa empreitada. Claro que existem mulheres que sonham em ser mãe, desejam ser mães com todas as forças e muitas vezes passam por grandes dificuldades até em termos de fertilidade para conseguir serem mães.
 

Mas o receio, o medo existe e é real, as dúvidas, as inseguranças. Isso é natural, pois são situações novas para toda a vida e não se tem garantia de sucesso e nenhum manual para ensinar como criar, cuidar bem de um filho.

Qual seria a melhor forma? São muitos palpites e ensinamentos de experiências de outros.  Existem sim, vários conselhos e literaturas, mas nada que garante que se seguir todas as instruções terá total sucesso, pois cada ser humano é único, cada momento é cada momento

O que funciona para uns não funciona para outros. Seria um conjunto de elementos que impede ter a garantia de sucesso na criação de um filho.

 

E eis a grande questão: Qual o melhor a fazer para que seja uma boa Mãe?
 

É muito importante fazer a melhor escolha para si, aquela que te deixe bem. Estando bem, a pessoa será capaz de fazer o melhor e assim ser uma ótima mãe.


Não criar expectativas em relação a si a ao filho pode ser um primeiro passo.
 

Tomar a decisão de ser mãe ou não, e a partir dessa escolha procurar fazer o melhor. Se a escolha é não ser mãe, aceite e fique bem com a decisão tomada. Se a decisão é ser mãe, se proponha fortemente a fazer o melhor e o melhor será feito

 

Muitas vezes as mulheres acreditam que não terão recursos para lidar e poder dar uma boa educação ao filho. E é natural que se pense que não conseguirá. É o medo do desconhecido que ameaça.

 

A angústia, o medo, a insegurança virá de qualquer jeito em qualquer época. São tecnologias novas, novos perigos e ameaças de várias formas, mas também é bom pensar e verificar que novos recursos e aprendizados surgirão.
 

Então quando se decide ser mãe deve se propor a fazer o melhor para educar uma criança e o melhor será feito. É confiar que será capaz de fazer o melhor. O mais importante é demonstrar o amor, capacidade que todos temos, firmar a parceria com o pai, ou seja, um trabalho em equipe, pois a responsabilidade é dos dois.

Lembrando que pai e mãe estão juntos desde a decisão.

 

Isso sem pensar nos casos que são pegos de surpresa, ainda assim, estarem unidos é ferramenta muito importante para dar certo. E assim para quem decide enfrentar esse desafio terá grandes possibilidades de colher bons frutos, tudo dependerá do que plantar.
 

O desafio de criar, educar uma“Pessoa” é muito grande, no entanto, pode ser um grande privilégio. Pode ser que seja responsável por uma vida que poderá ser extraordinária para o mundo ou não. Vale a pena refletir e fazer a escolha que for melhor para cada um, sem conflitos, sem remorsos, sem culpas. E qualquer que seja ela que faça o melhor de sua escolha.

Aquilo que se faz com coração aberto, amor autêntico, genuíno, está acima do certo e do errado, do bem e do mal, pois é o amor que guia, que transforma, que nos leva a fazer o melhor que somos capazes.

Share on Facebook
Please reload

Please reload

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2018 por Marli Borges. Criado por G7 PRODUÇÕES.