Dia Mundial da Doença de Alzheimer




“Nunca permita que quem esquece se torne esquecido”

(autor desconhecido)


Hoje, dia 21 de setembro, é o Dia Mundial da Doença de Alzheimer e Dia Nacional da Conscientização da doença de Alzheimer. Essa doença é um transtorno neurodegenerativo progressivo que se manifesta por deterioração cognitiva e da memória, primeiramente a memória recente. Compromete as atividades cotidianas e provoca alterações comportamentais.


Essa doença é caracterizada pela piora progressiva dos sintomas, entretanto muitos pacientes podem apresentar períodos de maior estabilidade. Ela é dividida em três fases: leve, moderada e grave. Se apresenta como demência, ou perda de funções cognitivas (memória, orientação, atenção e linguagem), causada pela morte de células cerebrais. Quando diagnosticada no início, é possível retardar o seu avanço e ter mais controle sobre os sintomas, garantindo melhor qualidade de vida ao paciente e à família. É uma doença que ainda não tem cura, porém existe tratamento.


A Doença de Alzheimer é a principal demência, sendo que existem outros tipos de demências, ou seja, nem toda demência é Alzheimer.


É importante saber identificar, aceitar e diferenciar os sintomas, observar mudanças nas atitudes do paciente. É preciso compreender e reconhecer os prejuízos que a doença de Alzheimer provoca.


Cuidar de uma pessoa com Doença de Alzheimer é um desafio para qualquer família. As mudanças são significativas e precisam ser compreendidas e incorporadas. Lidar com perdas, garantir boas condições de saúde, reorganizar a vida diária, redistribuir tarefas e oferecer tratamento adequado com cuidados que atendam as necessidades e preservem a integridade são situações que requerem aceitação, informação e flexibilidade, para uma boa adaptação à nova condição. O cuidador é quem dá suporte físico e psicológico fornecendo ajuda prática, se necessário.


Como prevenção, deve-se manter atividade intelectual, manter socialização, manter uma boa alimentação, manter atividade física regular, manter controle de doenças já estabelecidas como: hipertensão, diabetes e dormir pelo menos 8 horas por noite.

Fatores de risco: Idade avançada, inatividade intelectual, inatividade física, diabetes não controlada, hipertensão não controlada, depressão não tratada, obesidade, tabagismo.


É muito importante buscar manter o bem-estar do portador de Alzheimer e também o bem-estar do cuidador. É muito difícil, mas é possível encontrar formas de ficar um pouco mais leve.


Sugestão de filme “Meu pai”, com Anthony Hopkins e que mostra um pouco da perspectiva da pessoa que sofre com a doença de Alzheimer.