Culto à juventude




Outro dia recebi uma mensagem, era uma palestra que achei muito interessante e decidi compartilhar. Falava sobre o culto à juventude. Talvez alguém aqui tenha assistido. Gostei da reflexão, não é uma questão de achar certo ou errado, mas refletir sobre a questão é importante para todos, independente de ser jovem ou idoso.


Em determinado momento, ele fala que vivemos em um mundo onde se cultua a juventude, que ser idoso\velho é quase uma maldição e que o idoso acaba sendo excluído em quase toda parte, de muitas coisas da vida e que finalmente chegou o tempo de acabar com tantas distorções e mentiras. Que as pessoas se sentem tão mal de não serem jovens que chegam a mentir a idade a todos, inclusive a si mesmo ou repete a mesma idade por anos. Há pesquisas que mostram esse problema do “idadismo”, essa reação tóxica em relação ao culto à juventude, a passagem natural dos anos, a não aceitação do envelhecimento. Onde a juventude passa a ser um valor e não uma etapa da vida.


Interessante que as pessoas não querem morrer, mas também não querem envelhecer e o bom é que temos escolhas, pois podemos envelhecer mal, envelhecer bem ou morrer. São essas as opções que temos, ninguém tem a opção de permanecer jovem. Essa é a nossa realidade e podemos escolher.


O envelhecimento deve ser encarado de maneira saudável!


- Estou velho para isso ou para aquilo: isso é o que muitos idosos pensam e dizem... existem muitos equívocos em relação ao envelhecimento. Esse tipo de afirmação deve ser melhor analisada, pois jovem ou idoso, a pessoa é quem ela é, quem sempre foi e se é assim, não é a idade que irá mudá-la. A pessoa deve respeitar os outros, se respeitar, respeitando seus limites, o que gosta e o que não gosta, o que quer e o que não quer e estar aberta a aprender e continuar o seu desenvolvimento como ser humano. Não é a idade que irá definir a pessoa, como ela é ou deixa de ser. A pessoa continuará a se desenvolver até sua morte. A juventude ou velhice da pessoa será boa ou ruim dependendo do que ela escolher fazer, praticar, ou seja, o que ela deseja e se movimenta para realizar ou não na sua vida.

Assumir sua idade e viver de acordo com o que é capaz de fazer ou não, é uma sabedoria e se a pessoa consegue ter essa clareza poderá viver muito bem em qualquer fase da sua vida.


O palestrante ainda diz que a nossa vida é uma curva em U, pois estamos e nos sentimos em alta na infância, temos uma baixa na fase adulta e subimos no envelhecimento, pois já se sabe que a pessoa está mais propensa a felicidade, mais criativa quando atinge os 55+ anos. Segundo pesquisas é quando a pessoa tem mais satisfação na vida, pois ela tem tempo e experiência. A vida está cheia de exemplos de pessoas criativas e ativas nessa fase do envelhecimento. Trazendo exemplos mais próximos, temos Caetano Veloso, Ney Matogrosso, Fernanda Monte Negro e várias outras pessoas, celebridades ou não, nacionais e internacionais. É totalmente possível nos desenvolver, aprender e contribuir para o mundo até o último capítulo da nossa vida.


O seu presente é a chance que você tem para fazer a diferença!


Abracemos o tempo presente, não fiquemos presos ao passado ou querendo correr ou adivinhar o futuro, tudo irá depender do que fizermos no presente momento vivido. Cada idade, fase da vida, terá seus prós e contras e cada uma delas pode ser maravilhosa. É como diz a música "É preciso saber viver...”, não é fácil, mas é possível ter uma vida boa com satisfação.


Abraçar a vida num processo de abrir portas e não fechá-las. Quando você é honesto com sua idade, sentirá liberdade, leveza para definir sua vida, o que quer e o que não quer, independente se 25, 35, 45, 50, 60, 70 e assim por diante. Poderá viver a vida à sua maneira, de acordo com seus valores e escolhas. Não é a idade que te define.


Certa vez li em algum lugar uma frase que “peguei” para mim. Dizia: “colocar vida na minha idade e não idade na minha vida”.


A velhice não é um problema, ela pode ter problemas, assim como na infância e na juventude. Doenças são um risco que se corre ao longo da vida, não é só para o idoso. Existe o “desgaste” do uso da "máquina humana”, sim, porém ainda podemos escolher e fazer o necessário para ter uma velhice de sucesso, na senescência e não na senilidade.


O que tens feito, por você, para ter uma velhice de sucesso?


  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

© 2018 por Marli Borges. Criado por G7 PRODUÇÕES.